Outro blog

Oi, pessoal, aviso que agora tenho um outro blog, com algumas coisas deste e outras novas: http://jlinhasetrapos.multiply.com/journal. Espero suas visitas!

Uma pipa...

Este modelo de chaveiro fiz no tear tridente, em duas partes que foram unidas com cola de artesanato; no centro. manta acrílica aromatizada. Por fim, enfeites de fitas de cetim de várias cores e sisal colorido fino formam a "rabiola". Eu tenho o tear tridente maior, e é possível fazer um modelo bem parecido em maior escala, para servir como enfeite de porta de maternidade, por exemplo. Basta brincar com as linhas. Para quem quiser, ensino o passo-a-passo.

Renda de bilros

Se tem um artesanato que me emociona, tanto quanto o tear manual, é a renda de bilros. Como são lindas as formas e tamanhos que aquele trançar de bilros vai formando! eu então achei este vídeo no You Tube sobre a história da renda de bilros, que resolvi colocar aqui. Espero que gostem.

Hoje é dia do artesão! parabenizo a todos que criam arte a partir de elementos simples, e que dá cor e alegria à vida! aproveito também para dar a dica do site da H. Marin - fios tecnológicos e artesanais, que está com uma boa promoção até o dia 31/07 para aqueles que querem comprar fios diferenciados. Eu não conhecia, comprei e gostei. Quem quiser, clique no link que está na minha lista.

E como não poderia deixar de ser, lá vai mais um chaveiro...

 

Eu vejo flores em você...

E é claro, voltei com novas fotos de chaveiros. Estes modelos fiz no tear floral com sisal fino colorido (Aramex). A flor violeta tem no miolo mistura de alecrim e alfazema. Quero opiniões!

 

O inverno vem aí!

Bom, março caminha, e o outono vai dar as caras por aqui, se Deus quiser. Pessoalmente estou meio cansada de calor. Quem mexe com tear sabe que a época mais fria é sempre legal, porque podemos nos dedicar aos cachecóis, às pashminas, echarpes, blusas, etc, e é uma delícia, pessoalmente falando, manusear fios de inverno. Assim, entre chaveiros, estou inaugurando a temporada outono-inverno da JLT com um cachecol, e enquanto não fica pronto, eu posto aqui fotos do primeiro cachecol que fiz no tear - a gente nunca esquece!

 

Chaveiro lúdico

E continuo rumo aos 15 modelos que tenho que fazer pra Fernanda, este é o de hoje e eu achei que ficou bem bonitinho. Usei uma linha bem diferente, Lily da Cisne, cheia de fiapinhos, e tinha estes botõesda Dress It Up, que são bem modernos.

Um pouco de patchwork

Estes panos de prato foram decorados pela Fernanda, e ficaram tão lindinhos que eu quis colocá-los aqui.

 

Mais chaveirinhos

E continuo fazendo chaveiros. Aqui estão os modelos de hoje. Espero que gostem!

 

Parte 5 - final

Ops, faltou a parte 2

Como tecer no tear de pente liço 40 cm - Soliarte

Hoje vou postar alguns vídeos produzidos pela loja Soliarte sobre como tecer no tear de pente liço 40 cm. Bastante interessante para quem quer aprender a fazer ou apenas observar.

Mais chaveiros

Fiz este modelo em preto agora, com detalhes em acrílico furta-cor somente. O avesso também é de cetim, preto. Que tal?

 

Chaveiros

Tenho procurado diversificar os produtos que faço, e como estou aprendendo a fazer nhanduti (tenerife), resolvi arriscar e fazer alguns trabalhos pequenos, tais como estes chaveiros que mostro a vocês. Eu resovi fazer o avesso, no caso destes dois modelos, com manta siliconada (que eu já tinha em casa, mas de outro tipo também poderia ser) e cetim, e ficou uma almofadinha. Aí resolvi aromatizar o lilás, e eu acho que ficou bom, já estão disponíveis nos meus outros sites (Juntando Linhas e Trapos e correlatos). No entanto, aceito sugestões. O que acham?

História

Comecei neste negócio de tear em 2008, mais ou menos;  desde nova, eu sempre gostei de trabalhos manuais, e observando minha mãe fazer tricô e crochê, aprendi a manejar as agulhas e fazer algumas coisas. Mais velha, aprendi um pouco de ponto cruz, mas ainda não achava que era muito minha praia, embora tenha bordado a manta do meu sobrinho, que agora tem 8 anos, e tenha ficado uma graça! Então, fazia tricô para o pessoal de casa, e vez ou outra olhava nas revistas de artesanato buscando alguma coisa diferente. Um dia, entrando em uma loja de armarinhos procurando fios, achei um objeto quadrado cheio de pregos, muito parecido com um que minha avó Genoveva usava para fazer umas toalhinhas coloridas, que ela chamava de "amarradinho". De posse do estranho objeto(rs), perguntei à vendedora do que se tratava, e ela então me explicou que era um tear. À menção deste nome, assustei: tear? tear de tecer? tecido? porque a gente logo imagina taquele equipamento enorme, fazendo aqueles rolos de tecido, etc; e ela, então, solícita, indicou algumas revistas que estavam ali perto. Peguei uma, olhei o passo-a-passo e decidi, como boa novidadeira, que eu ia experimentar, e dois anos e mais ou menos uns 50 teares diferentes depois, aqui estou eu, totalmente rendida a esta arte maravilhosa, que me deu a oportunidade de começar um pequeno negócio. Diz minha mãe que isto é coisa da avó Genoveva, e que eu herdei isto dela.  Se for verdade, é uma herança maravilhosa, e em homenagem a isto, aqui vão fotos da toalhinhas que eu ganhei dela.
ao

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: