Um pouco de patchwork

Estes panos de prato foram decorados pela Fernanda, e ficaram tão lindinhos que eu quis colocá-los aqui.

 

Mais chaveirinhos

E continuo fazendo chaveiros. Aqui estão os modelos de hoje. Espero que gostem!

 

Parte 5 - final

Ops, faltou a parte 2

Como tecer no tear de pente liço 40 cm - Soliarte

Hoje vou postar alguns vídeos produzidos pela loja Soliarte sobre como tecer no tear de pente liço 40 cm. Bastante interessante para quem quer aprender a fazer ou apenas observar.

Mais chaveiros

Fiz este modelo em preto agora, com detalhes em acrílico furta-cor somente. O avesso também é de cetim, preto. Que tal?

 

Chaveiros

Tenho procurado diversificar os produtos que faço, e como estou aprendendo a fazer nhanduti (tenerife), resolvi arriscar e fazer alguns trabalhos pequenos, tais como estes chaveiros que mostro a vocês. Eu resovi fazer o avesso, no caso destes dois modelos, com manta siliconada (que eu já tinha em casa, mas de outro tipo também poderia ser) e cetim, e ficou uma almofadinha. Aí resolvi aromatizar o lilás, e eu acho que ficou bom, já estão disponíveis nos meus outros sites (Juntando Linhas e Trapos e correlatos). No entanto, aceito sugestões. O que acham?

História

Comecei neste negócio de tear em 2008, mais ou menos;  desde nova, eu sempre gostei de trabalhos manuais, e observando minha mãe fazer tricô e crochê, aprendi a manejar as agulhas e fazer algumas coisas. Mais velha, aprendi um pouco de ponto cruz, mas ainda não achava que era muito minha praia, embora tenha bordado a manta do meu sobrinho, que agora tem 8 anos, e tenha ficado uma graça! Então, fazia tricô para o pessoal de casa, e vez ou outra olhava nas revistas de artesanato buscando alguma coisa diferente. Um dia, entrando em uma loja de armarinhos procurando fios, achei um objeto quadrado cheio de pregos, muito parecido com um que minha avó Genoveva usava para fazer umas toalhinhas coloridas, que ela chamava de "amarradinho". De posse do estranho objeto(rs), perguntei à vendedora do que se tratava, e ela então me explicou que era um tear. À menção deste nome, assustei: tear? tear de tecer? tecido? porque a gente logo imagina taquele equipamento enorme, fazendo aqueles rolos de tecido, etc; e ela, então, solícita, indicou algumas revistas que estavam ali perto. Peguei uma, olhei o passo-a-passo e decidi, como boa novidadeira, que eu ia experimentar, e dois anos e mais ou menos uns 50 teares diferentes depois, aqui estou eu, totalmente rendida a esta arte maravilhosa, que me deu a oportunidade de começar um pequeno negócio. Diz minha mãe que isto é coisa da avó Genoveva, e que eu herdei isto dela.  Se for verdade, é uma herança maravilhosa, e em homenagem a isto, aqui vão fotos da toalhinhas que eu ganhei dela.
ao

Eu queria começar mostrando um vídeo que encontrei na rede algum tempo atrás, que mostra artesãs mineiras tecendo uma colcha. Eu, que amo esta arte, achei maravilhoso, e eu espero que vocês também possam apreciá-lo.

Bom dia gente, domingo de manhã, e eu resolvi começar este blog, que como vários outros blogs interessantes que terão seus links devidamente colocados aqui, vem falar de vida e artesanato. Espero poder também contribuir, mostrando os trabalhos que são feitos por mim e pelas minhas super-hiper-mega-blaster companheiras de jornada, minha prima Fernanda, e minhas tias Maura e Marisa. Claro, faltou a apresentação: nós formamos a equipe Juntando Linhas e Trapos. Enfim, espero comentários, muitos comentários, sugestões e trocas de experiências. E vamos lá!!!

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: